quinta-feira, 16 de abril de 2015

Nossa Senhora da Saude no Padrão

Nossa Senhora da Saude

Teem lugar tambem este fim de semana as festas em louvor de Nossa Senhora da Saude, na nossa vizinha  aldeia do Padrão,
que tão belas recordações me traz, como por exemplo quando a Banda de Bogas vinha abrilhantar esta romaria onde  eu me integrava, Depois e  ainda os amigos que por lá grangeei e os clientes que tive  nos meus tempos de caixeiro viajante

No terreiro desta capela diverti me com familiares e amigos em dias de festa e quando integrado na banda de Bogas de Baixo atuavamos na  arruda  na procissão e no coreto
No final do dia a comissão da festa oferecia nos uma duzia de foguetes e quando chegavamos a Bogas eram estoirados á Portela iniciando de seguida a nossa tradicional arruada a assinalar mais um regresso de uma romaria onde actuámos
muita gente de Bogas e não só se recordarão certamente
Ouviam se os romeiros percorrendo a pé os caminhos que nos levavam até ao Padrão, numa alegre caminhada cantorolando as musicas tradicionais á nossa Senhora da Saude


Vamos todos em romaria, vamos todos em folia, em magote a cantar mesmo ao nascer do dia.
Abri-me a porta Senhora, que vós quero rezar o terço pai nosso avé maria

Os  devotos a Santinha, bem guardada na capela, atravessam muitos deles vales e planícies para lá chegar. Garrafão e merenda ao ombro ou a cabeça lá vai toda a família, comer sentados por ali no campo, e dançar a tarde toda. Em romaria saiam de casa, e para casa voltam em romaria, Onde vais?  repondia com alegria...Vou prá festa!!! Donde vens? a resposta era mais triste ..Venho da Festa….
Oração a Nossa Senhora da Saúde

Virgem puríssima,
que sois a Saúde dos enfermos,
o Refúgio dos pecadores,
a Consoladora dos aflitos
e a Despenseira
de todas as graças,
na minha fraqueza
e no meu desânimo
apelo, hoje,
para os tesouros
da vossa misericórdia e bondade
e atrevo-me a chamar-vos
pelo doce nome de Mãe.
Sim, ó Mãe, atendei-me
em minha enfermidade,
dai-me a saúde do corpo
para que possa cumprir
os meus deveres
com ânimo e alegria,
e com a mesma disposição
sirva o vosso Filho Jesus
e agradeça a vós,
Saúde dos enfermos.
Nossa Senhora da Saúde,
rogai por nós. Amen.
 A seguir  algumas imagens da festa do ano passado da autoria do meu amigo António Luis Oliveira que normalmente por aqui passa onde tem alguns familiares.
Lindas imagens que ficão sempre para recordação áqueles que virão a seguir a nós

uma visão sobre a aldeia do Padrão

em dia de festa até a estrada nacional  Castelo Branco Coimbra fica ocupadissima pelo estacionamento das viaturas dos visitantes

daqui podemos ver parte do arraial onde não faltam as tradicionais farturas , os vendedores de mantas e as impercindiveis tasquinhas


aqui vemos a banda de Unhais talve na procissão, trabalho que em tempos idos foi muitas vees feito pela banda de Bogas de Baixo há varios anos extinta

O interior da capela é lindo  muito bem engalanado em dias de festa



o Bailarico ao som da banda, de um acordeonista, de um conjunto musical ou mesmo da aparelhagem sonora, esse não pode faltar

Nossa Senhora do Almortão

Neste fim de semana 18,19,20 e 21 de Abril realizam se duas das maiores romarias do distrito de Castelo Branco, sendo que Nossa Senhora de Mércoles realiza se em Castelo Branco enquanto nossa Senhora do Almortão se  realiza em Idanha a Nova

A Ermida de Nossa Senhora do Almortão situa-se nos campos de Idanha-a-Nova, tem um estilo simples e harmonioso. Em 1229 D. Sancho II, no foral dado a Idanha-a-Velha mencionava a Santcam Mariam Almortam, quando demarcava os limites da Egitania.

A capela-mór e o altar são revestidos de azulejos do sec. XVIII. O alpendre é formado por três arcos de granito. Esta capela foi construída porque, como diz a lenda, um dia de madrugada uns pastores atravessavam o campo pelo sítio "Agua Murta" e notaram que havia algo de estranho por traz das murteiras grandes.

Aproximaram-se e viram uma linda imagem da Virgem. Ficaram parados de joelhos a rezar, mas depois resolveram levar a imagem para a Igreja de Monsanto. Mas ela desapareceu e foi encontrada outra vez no mesmo lugar da aparição no murtão. Respeitando a vontade da Senhora, os habitantes da vila construíram a capela

A procissão em honra de Nossa Senhora do Almortão atrai todos os anos milhares de visitantes a Idanha-a-Nova. Depois da missa, os mordomos transportam o andor com a imagem da santa ao som de adufes e cantigas tradicionais

Após as cerimónias segue-se o almoço, convívio entre famílias e amigos. Então o povo canta as várias quadras á Senhora entre elas estas que dizem os historiadores que traduzia o sentimento das pessoas em serem libertadas do domínio dos espanhóis.

Senhora do Almortão
ó minha linda raiana
virai costas a Castela
não queirais ser castelhana

Senhora do Almortão
a vossa capela cheira
cheira a cravos, cheira a rosas
cheira a flor de laranjeira

senhora do Almortão
eu pró ano não prometo
que me morreu o amor
ando vestida de preto

Festas e Romarias da nossa terra

Castelo Branco a capital da Beira Baixa vai ter o seu feriado municipal no próximo dia 21 terça feira.

As autoridades autárquicas tiveram a feliz ideia de associar o feriado á grandiosa Romaria de Nossa Senhora de Mércoles cuja capela e terreiro se localiza a pouco mais ou menos 5 kms do centro da cidade.

Estas festas  conjugam os ritmos das romarias portuguesas com os das novas formas de lazer e diversão. pois  aqui aparece todo o tipo de barracas de venda dos produtos mais variados Mas o essencial da Festa centra-se na Senhora, Mãe de Deus, invocada aqui como Nossa Senhora de Mércoles e albergada na antiquíssima Ermida com o mesmo nome.
Resultado de imagem para nossa senhora de mercoles
As festas prolongam se durante todo este fim de semana tendo o seu culminar na terça feira dia de feriado municipal que muitos albicastrenses  e outros romeiros aproveitam para ir até á festa degustar o saboroso feijão frade cultivado nos campos circundantes com sardinha assada na brasa.
É já tradição ancestral as familias virem aqui reunir se numa das várias tasquinhas existentes no recinto para almoçar ou jantar a célebre sardinha assada com feijão frade.

Uma visão colossal captada do ar sobre o terreiro de Nossa Senhora de Mércoles onde podemos comprovar realmente a afluencia de milhares de romeiros e peregrinos a esta grandiosa festa
Uma tradição popular que se perpétua, igual a muitas outras que ocorrem pelo país, de um povo que mantém de mãos dadas o fervor da sua fé e a esperança de melhores dias, que teimam em não vir.

domingo, 12 de abril de 2015

Romarias da Beira Baixa

Com o final da Quaresma e a festa da Páscoa, na Beira Baixa começam as romarias religiosas as várias locadidades que veneram os seus santos padroeiros.
No passado dia 6 segunda feira depois da Páscoa realizou se em Penamacor a festa de Nossa Senhora do Incenso

Esta magnifica  capela situa se a 3 quilómetros de Penamacor na estrada que liga o Fundão a esta Vila
Em tempos já distantes sempre me deslocava anualmente a esta romaria onde com familiares e amigos depois de assistir mos aos atos religiosos entregavamo nos ao pecado da gula e saboreava mos deliciosos farnéis
Na altura ouvi muita gente contar que esta capela tem uma lenda;
 Antes  chamou se Nossa Senhora do Prado mas o nome foi alterado porque, segundo reza a lenda, um dos Bispos Egitanienses, em agradecimento à Virgem, quis pessoalmente celebrar a cerimónia, tendo todavia esquecido o incenso. Imediatamente se enviaram homens à vila, a fim de trazerem a preciosa especiaria. Mas, quando o bispo volta a pegar na naveta antes vazia, verifica abismado que esta está agora repleta de incenso. O milagre deu nome à actual capela e todos os anos o santuário se enche de fervorosos devotos, que ali se deslocam para assistir à mais importante festa do concelho - a Romaria a Nossa Sra. do Incenso


Nossa Senhora será por ventura a mesma e o prado onde se situa continua no mesmo sitio
                                                   ::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Tambem aqui bem pertinho do Fundão se realizou hoje dia 12 de Abril com pompa e circunstancia a célebre festa de Nossa Senhora do Fastio


Todos os anos, se realizam as tradicionais festas em honra da Nossa Senhora do Fastio.e Senhora do Bom Parto na freguesia dos  Enxames.   concelho do Fundão distando pouco mais ou menos 13 kms da sede de concelho. A freguesia comemora os seus 25 anos  depois de ter sido desmembrada da fraguesia da Fatela em 1989
 festa de maior tradição é consagrada a Nossa Srª do Fastio e Nossa Srª do Bom Parto. Realiza-se no Domingo de Pascoela e Segunda-Feira seguinte no santuário e capela da Sua evocação, onde acorre grande número de romeiros de todas as redondezas.
É portanto hoje dia 12 de Abril que estas festas têm lugar.


do Fundão deslocam se centenas e centenas de pessoas para passar aqui um dia em grande confraternização, pois os amigos encontram se..

Para além dos Enxames  tambem no Barbaído concelho de Castelo branco terão lugar as  festas de Nossa Senhora do Fastio: A festa em honra de Nossa Senhora do Fastio tem caráter religioso, com missa, procissão pelas ruas da aldeia e arraial popular, realiza-se no Barbaído, no quarto domingo após a Páscoa.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Hoje tambem tem lugar na Soalheira a festa de Nossa Senhora das Necessecidades



Nos momentos de grande aflição, é a Nossa Senhora das Necessidades que o povo da Soalheira recorre, como foi em 1808, quando os invasores franceses passaram pela região devastando tudo, a Soalheira foi poupada, atribuindo-se isso a milagre da Senhora que encobriu o povo com denso nevoeiro, e eles passaram ao lado e não entraram nele.
.Saiba mais  acedendo a esta páginaNOSSA SENHORA DAS NECESSIDADES
Esta Santa é venerada em muitos locais de Portugal especialmente na nossa vizinha Alcaria onde foi foi mesmo construido um Centro Social e lar da 3ª idade com o seu nome

Capela de Nossa Senhora das Nescidades


Centro social

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Aldeia da Picha



A minha página vai partilhar hoje com os meus amigos e visitantes as minhas recordações da passagem várias vezes pela Picha situada no nosso vizinho concelho de Pedrógão Grande  já no Distrito de Leiria.
A ultima vez que por aqui passei foi em 2009 numa altura em que visitei a minha aldeia Bogas de Baixo nas festas em honra de Nossa Senhora das Dores.
mas passei por cá muitas vezes na minha profissão de caixeiro viajante.
Vem a propósito esta minha postagem porque há dias quando quis partilha la com os amigos no Facebook., a mesma foi removida da página onde a publiquei, mas creio que esta aldeia e o seu concelho merecem ser divugadas.

Sobre a Picha. oferece me escrever o seguinte
A população da aldeia está envelhecida
. Existem poucas crianças e por isso o lugar já não tem escola. nem sequer lojas de comércio. Só há um café na zona baixa da aldeia, junto à estrada principal, chamado Café da Picha.
frente á área de serviço Repsol
 A Associação de Melhoramentos tem sede nova, mas o interior ainda está em bruto.


Em obras está a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, edifício secular construído pela população e que agora volta a sofrer melhoramentos. Se a empreitada ficar pronta, voltarão as festas anuais, que não se realizam há três anos.

Consta que o nome da terra teve origem numa fábrica de resina. Mas ninguém sabe explicar muito bem a razão exacta da denominação. Em tempos, já houve quem tivesse feito um abaixo assinado para mudar o nome da aldeia, só que a proposta de mudança para Pénis não vingou.
Os pichenses já se habituaram às perguntas dos forasteiros sobre tão invulgar toponímia. Trocadilhos e piadas são habituais quando a conversa é o nome da terra. Eles não se importam e gracejam.
Picha é apenas um dos muitos nomes de aldeias curiosas que ficam nas redondezas de Pedrógão Grande. Também existem Venda da Gaita, Derreada e Senhor dos Aflitos, por exemplo
A ultima vez que passei por cá já lá vão 6 anos parti de Castelo Branco fui até á Sertã e daí para o Pedrógão cujo concelho é dos mais ricos em belezas naturais Nota se que começam a ser explorados os recursos naturais, considerados como uma grande potencialidade do concelho, a par da riqueza cultural e infra-estruturas de apoio ao turismo.
Os locais de interesse turístico passam pela grande beleza natural deste concelho. A par das barragens, albufeiras e piscinas fluviais, também o centro histórico da vila assume destaque pelas inúmeras residências de traço da fidalguia provinciana..
Desde o Pedrógão rumei então até Vale da Gaita e a seguir a Picha, continuei na direção de Alvares mas na Louriceira voltei á direita em direção á Portela do fojo sempre com a vista extraordinária da albufeira da barragem do Cabril
Subi a serra, passando por locais onde antigamente pude vir ver grandes provas do Raly de Portugal, especialmente o troço da Amoreira.
A seguir entrei na vila de Pampilhosa da Serra tomando a estrada N112 que liga Coimbra a Castelo Branco , segui até ao Orvalho e logo depois a minha linda terra natal Bogas de Baixo