sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Bom Ano Novo para todo o mundo


Passado quer está o Natal estamos agora a gozar os ultimos dias de 2013
O ano não vai deixar saudades a muita gente, mas se o próximo não for pior a gente já se sente mais ou menos feliz.Sim porque as novidades para 2014 não são nada mesmo nada desejáveis.
Nós em Portugal vamos ficar mais uma vez privados de muitas coisas e a maior parte delas são essenciais para uma vida digna. Mas se pensarmos um pouco verificamos que muita gente estará  muito pior que nós por esse mundo fora.
A crise é geral, e há até muita gente que viveu e vive sempre em constante crise

ECOS DA ALDEIA deseja um ano novo próspero para todo o mundo e especialmente para os meus amigos e leitores do Blogue.
No próximo ano continuaremos a calcorrear por montes e vales mostrando as Aldeias e Vilas de Portugal, muito especialmente da região das Beiras

domingo, 22 de dezembro de 2013

É Natal tempo da familia




Meus caríssimos amigos e amigas

Entrámos na quadra natalícia
Na Igreja Católica o Ciclo natalicio inicia se com a Vigília de Natal3 e dura até o festival de Batismo do Senhor que cai noDomingo após a Epifania (em 13 de Janeiro no calendário pré-VaticanoII e, em alguns círculos católicos mais tradicionais, a época de Natal foi formalmente estendida até Fevereiro o festival de Apresentação do Senhor, também conhecido com o Purificação da  Virgem, ou ainda festa da Candelária.
A novena de Natal inicia-se dia 16 de dezembro e vai até a véspera (24 de dezembro). A solenidade do Natal prolonga-se por oito dias após o dia 25, inclusive: é a Oitava do Natal. Na Igreja Anglicana o ciclo do Natal começa com a Oração da Noite na véspera de Natal e termina antes da Oração da Noite na véspera da Epifania (que pode ser celebrada em 6 de janeiro ou no Domingo entre 2 e 8 de Janeiro).
Mas para nós portugueses o Natal é quando um homem quiser, pois  todos os dias comemoramos o natal ou de um familiar ou de um amigo

mas saibamos viver e conviver nesta época festiva
desejo para todo o mundo um Natal cada vez melhor com mais saúde com muita paz e menos pobreza
Será muito difícil que os meus sonhos se realizem devido á crise que assola o nosso País e quase todo o mundo
Mas sonhar ainda não paga imposto nem o Governo pode entrar com os cortes a que nos habituou
Tenham um BOM NATAL

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Hoje vamos até Loriga


Como o título do Blogue indica, este serve para reviver lendas, costumes, usos e tradições das nossas  Vilas e aldeias, então nada melhor que continuar a reviver recordações das minhas passagens pelas aldeias e vilas de Portugal, muito especialmente na Beira Interior.
Por motivos da minha profissão fui obrigado a percorrer quase todo o País mas foi aqui nas nossas Beiras por onde calcorreei mais.
Sabe bem voltar a esses tempos nem que seja apenas em recordação
E sei que muitos dos meus amigos e leitores apreciam estas partilhas, por isso continuarei a publicar as minhas recordações através do Ecos da Aldeia.
Posto isto e como acabei a minha ultima viajem em Vide no Concelho de Seia, vou continuar na região e vou subir parte da Serra da Estrela at´á linda vila de Loriga.
Saí de  Vide serra acima  e olhando para o meu lado direito vi as localidades de Muro, Casal do Rei e Cabeça, esta ultima faz agora parte da união das freguesias de Vide e Cabeça, uma aldeia tipica carregada de grandes tradições

Pelo que consegui pesquisar a aldeia aparece logo desde o início da Nacionalidade (séculos XI e XII) no termo de Loriga (dentro de Seia), constituindo com ele um todo, possuído por D. João Viegas ( ou D. João Ranha ), depois de confiscado por D. Afonso Henriques aos anteriores donatários, por não se lhe sujeitarem.

  Administrativamente, pertenceu ao concelho de Loriga, até à extinção deste em 24/10/1855, passando a integrar o concelho de Seia.

Entretanto ia regalando a vista com a paisagem que me era oferecida pela natureza tanto á minha direia como á esquerda  e é á esquerda que podemos avistar Sazes da Beira
esta aldeia pertencente tambem ao concelho de Seia, segundo o que reza a história deve  o nome e a sua  fundação  a famílias de pastores vindas de Sandomil e das Corgas à procura de terrenos férteis e com fácil acesso à água

chegado ao entroncamento com a N 231 que liga São Romão ás Pedras Lavradas, encontro um pouco mais adiante uma rotunda de onde depois partem ligações á Lagoa comprida. á aldeia de Cabeça e  a Loriga , para onde me desloco

Loriga que traz enormes recordações não só por ter familiares oriundos desta belissima localidade serrana e dos bons bocados que por aqui passámos muitas vezes em conversas á lareira com uma mesa recheada de bons petiscos, bem como do meu trabalho quando a industria de lanificios vivia dias de grande desenvolvimento, quando visitava os meus clientes

situada na parte sudoeste da Serra da Estrela, encontra-se a 20 km de Seia, 80 km da Guarda e 320 km de Lisboa

É conhecida como a "Suíça Portuguesa" devido à sua extraordinária localização geográfica. Está situada a cerca de 770m de altitude, na sua parte urbana mais baixa, rodeada por montanhas, das quais se destacam a Penha dos Abutres (1828m de altitude) e a Penha do Gato (1771m), e é abraçada por dois cursos de água: a Ribeira da Nave e Ribeira de S.Bento, que se unem depois da E.T.A.R. para formarem a Ribeira de Loriga, um dos afluentes do Rio Alva.
Então meus caros amigos//as deixo vos por hoje prometendo volatar em breve ao vosso convivio
(PS algumas fotos são da google por não ter minhas)

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Vou descer a Serra em direção ao Piódão

 

Do Monte do Colcurinho dá para ter uma visão quase total daquela parte da Serra da Freguesia de Vide.
Inicio a descida sempre pelo meio de uma extraordinária paisagem cheia de declives, estradas sinuosas mas com óptimas condições de utilização

Vim apanhar a Municipal 508 ali perto de Porto Silvado seguindo depois até ao entroncamento com a Municipal 508-1 na continuação daquela descida perigosa mas de grande valor paisagistico e eis me a passar ao lado das pousadas do Piódão, vendo se a aldeia histórica na outra encosta.

Piódão é sem duvida uma das mais belas aldeias de Portugal. Classificado como imóvel de interesse público a partir de 1978, ficou a partir de então a estar mais protegida. Ficou integrada nas Aldeias His´tricas de Portugal e  todas as casas em cimento e telhados de telha foram convertidas em paredes de xisto e telhados de louça. Assim valorizou a riqueza arquitectónica do Piódão.
As minhas recordações vão até ao tempo em que o Raly de Portugal passava por estas estradas ainda em terra batida e eu com varios amigos vinhamos passar aqui noites em divertida camaradagem para assistir ao melhor Raly da Europa.
Do Piódão parti em direção a uma anexa da freguesia chamada  Foz D'Éguas , durante o percurso fui notando  casas abandonadas que fazem reviver o tempo da actividade pastorícia de então, tanto de caprinos como de ovinos. Nas clareiras podem avistar-se colmeias, testemunho da actividade apícola, ainda com alguma expressão na Serra do Açor.




A partir daqui entro em terrenos da freguesia de Vide e tambem de outro Concelho o de Seia, passo em Casas Figueiras, Casal Vitoreiro, Coice de Eira e Aldeia do Cide, uma pitoresca localidade anexa da freguesia de Vide e Cabeça



Vê se por aqui alguma pequena atividade agricola de subsitencia e tambem algumas cabritas a pastar


Passei ainda em Rodeado, mais uma pequena aldeia das varias que pertencem á freguesia de Vide continuando a minha decida ao lado da Ribeira cheguei a Vide novamente depois deste trajeto  em volta da Serra.
Vou ficar por aqui pensando no proximo trajeto que vou escolher para partilhar com todos vós

.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Aí vou eu pela montanha acima

Estávamos na Ponte das Tres Entradas e nada melhor que continuar a viajem aqui para o lado esquerdo a caminho de Vale de Maceira terra da Nossa Senhora das Preces
A este local sagrado continuam a afluir milhares de romeiros por altura das festas em honra de Nossa Senhora das Preces . Lembro me de quando era ainda miudo virmos desde Bogas de Baixo a pé numa extensão enorme por montes e vales até aqui para fazermos as nossas preces á Santa
Além da igreja, templo imponente de 50 m de comprimento por 10 de largura, com cinco altares, sendo o altar-mor votivo à bela imagem de Nª Sr.ª das Preces e com ricas pinturas no tecto, o santuário integra uma Via-Sacra, com figuras de madeira em tamanho real, um chafariz monumental e um coreto.
 O conjunto é envolvido por um parque florestal de raro valor e de onde se desfruta uma panorâmica belíssima sobre a região. Espaço de excepcional grandeza arquitectónica, religiosa e paisagística é, por isso, exemplar único na região
Goulinho
 Estamos tambem perto de um outro local de romaria, que eu conheço pelo nome de Monte do Colcurinho, mesmo lá no alto de um monte da serra do Açor perto de Goulinho
Nesta pequema mais muito airosa aldeia pertencente á freguesia de Aldeia das Dez  concelho de Oliveira do Hospital começa a sentir se aquele aroma sem igual a A mistura de flores de todas as cores
o amarelo da carqueija, o cor de rosa do mato ribeirinho o verde dos pinheiros etc etc por cima de todo este colorido podemos distinguir as abelhas na procura do pólen para produzir o mel e que mel bom deve ser .....
daqui até ao cimo do monte do Colcurinho a  visão que nos oferece esta bela serra do Açor é inconfundivel de verde a perder de vista

Aqui em baixo na encosta é a aldeia da Gramaça e pertinho o Vale do Torno, a panorâmica que se nos oferece na direção de Oliveira do Hospital é soberba  e o ar puro que sentimos a entrar nos pulmões deixam nos com vontade de permanecer aqui sem pressa de ir embora.
embora as estradas não sejam de  grande qualidade é fácil chegar lá ao cimo do Monte Colcurinho que já avistamos nesta imagem
 a uma altitude a rondar os 1242 metros e faz parte da Freguesia de Aldeia das Dez. O seu nome remonta, consoante as versões, à presença dos Lusitanos e dos Romanos. Este monte formou-se há aproximadamente 600 milhões de anos juntamente com a Serra da Estrela

É, provavelmente, um dos locais de onde melhor e, com mais encanto, se pode assistir quer ao nascer, quer ao pôr-do-sol. No alto do monte podemos ver esta capela da Nª Sr.ª das Necessidades,


E pronto  viajem terminada por hoje, fico me por aqui com a promessa de voltar ao vosso convívio com mais algumas partilhas das minhas recordações  calcorreando a serra do Açor

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Outras terras outras gentes


Desço das Pedras Lavradas desta vez para Oeste  
Chego a Teixeira de Cima, uma aldeia situada no coração da serra já no concelho de Seia

Segundo consta o nome de  Teixeira deriva de “Teixe”, que significa peça ou brinco de ouro. Crê-se que a formação de duas Teixeira, a de Cima e a de Baixo, foi o resultado de uma briga entre 2 pastores
Em 1946 deixou de pertencer á freguesia de Vide e passou á categoria de freguesia,  constituída ainda pelas povoações de Teixeira de Baixo (actual sede) e Canedo

Aqui por cima de Teixeira uma outra linda localidade de ruas bastante inclinadas dada a sua localização na encosta da serra

Continuando pela N230 passo pela aldeia de Ribeira e chego a Barriosa. Todas estas aldeias que estou a referir trazem me muitas recordações dos tempos que por aqui passava semanalmente para ou ir a Alvoco de Varzeas abastecer me de material para o meu negócio ou para atender clientes e simplesmente em passeio.
Estação de serviço na Ribeira


Mais à frente, na Barriosa, encontramos um restaurante excelente, chama-se “Guarda Rios”. Num lugar paradisíaco, com belas cascatas de água, açudes e uma magnífica praia fluvial.

 O edifício todo construído em xisto respeita a traça arquitectónica da região e ostenta uma ampla sala de refeições, onde o difícil é escolher um dos pratos regionais do vasto cardápio.
Daqui até á sede freguesia  Vide foi um instante sempre percorrendo este Vale entre a Estrela e o Açor duas belissimas serras portuguesas

 A aldeia da Vide tem vários acesso sendo os principais a EN 230, que a liga a Oliveira do Hospital, e a EN 238, uma saída da EN 231, que a liga à sede de concelho Seia.
É uma freguesia enorme  a maior do concelho de Seia, engloba as anexas de  Abitureira, Baiol, Balocas, Baloquinhas, Barreira, Barriosa, Barroco da Malhada, Borracheiras, Carvalhinho, Casal do Rei, Casas Figueiras, Cide, Chão Cimeiro, Costeiras, Coucedeira, Fontes do Cide, Foz da Rigueira, Foz do Vale, Frádigas, Gondufo, Lamigueiras, Malhada das Cilhas, Monteiros, Muro, Obra, Outeiro, Ribeira, Rodeado, Sarnadinha, Silvadal, Vale do Cide.
Devido ao isolamento a que foram votadas, algumas das suas povoações anexas têm vias de comunicação deficientes, o que dificulta o acesso às mesmas, favorecendo o seu isolamento particularmente com condições atmosféricas desfavoráveis, no Inverno.

Embora a sede de FREGUESIA  continue a ser em Vide, devido á  recente reorganização administrativa do território  passou a fazer parte dela a ex freguesia de Cabeça passando denominar se "União das Freguesias de Vide e Cabeça"
Em Alvoco das Varzeas dá nos a impressão que deixaram roubar os sinos da igreja.. Será?
Ponte medieval em Alvoco das Vaezeas
A esta aldeia  me desloquei vezes sem conta, existia aqui uma padaria que fabricava dos melhores bolos secos que se podiam comer e  vinha semalmente carregar para depois distribuir pelos meus clientes na zona a sudoeste do Fundão
e venho parar a Ponte das Tres  Entradas, que eu conheci muitos anos atrás menos bonita mas onde eu parava sempre para pesticar, porque aqui ainda se come bem e produtos da terra
A localidade usufrui de uma belissima praia fluvial no rio Alva e de um parque de Campismo com  75 lugares para tendas, caravanas e autocaravanas. As inúmeras árvores espalhadas pelo espaço oferecem o abrigo da sua sombra.Todos os lugares têm vista para o rio e para as pequenas cascatas.
E por aqui me quedo hoje,esperando poder vir partilhar com rodos vós uma subida ao lugar mais alto da serra do Açor , talvez o monte do Colcourinho, ali por cima da aldeia de um amigo que é o Goulinho
Abraços e até já