domingo, 28 de setembro de 2008

A História do carro de bois




Na minha aldeia existiam antigamente alguns carros de bois que quando andavam vazios faziam uma chiadeira infernal

Daí eu aprendi uma lição que jamais vou esquecer
Certo dia meu pai, homem trabalhador e muito sabedor tambem.
Disse me que íamos essa manhã roçar uns molhos de mato para fazer a cama dos animais
Fui com muito prazer até ao pinhal acompanhando o meu pai, e numa clareira depois de algum silencio pergunta me ele
Além do chilrear dos pássaros, estás a ouvir mais alguma coisa??
Apurei os ouvidos e disse lhe que sim , estava a ouvir a chiadeira dum carro de bois que pelo som vinha na sua marcha pachorrenta
É isso mesmo disse o meu pai; é um carro vazio

Então como é que sabe que esta vazio?? não o estamos a ver ....
Pois é , é muito fácil saber quando um carro de bois vem vazio, por causa do barulho.
Quanto mais vazio vier mais barulho faz.
Agora depois de muitos anos passados, quando vejo alguém a falar alto de mais, a gritar, ou a tratar os outros com prepotencia,a querer fazer ver que é dono da razão e da verdade total,sinto a voz do meu paia dizer : quanto mais vazio vai o carro de bois, mais barulho faz

tenham um optimo dia e pensem nisso


AGORA VEJAMOS O CARANGEJO PORTUGUES



Um pescador de caranguejos, quando ia á pesca tinha por hábito nunca tapar o balde em que colocava os caranguejos que ia apanhando.

Isso intrigava todas as pessoas que estavam á sua volta.

Um belo dia alguém que o observava já algum tempo perguntou-lhe:

- Desculpe, mas explique-me porque não tapa o balde dos caranguejos ? Não tem medo que eles possam escapar?

O pescador olhou para o individuo e muito calmamente respondeu:

- Não é preciso... Estes são caranguejos portugueses! quando um tenta subir, os outros imediatamente o puxam para baixo!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Entre Amigos

José
Olá Luis entao novidades nao ha?
Luis
ia te perguntar a mesma coisa
José
estas a ver fui mais rapido que tu
Luis
tenho me esforçado a apelar ao pessoal de Bogas para participar no blogue , fazer da pagina um elo de ligação entre todos os Boguenses presentes e ausentes mas até agora pouco efeito é visivel
parece que ninguem esta interessado em se comunicar conosco
José
porque sera? portanto deve haver pessoal que também gostam da nossa terra
Luis:
A mim tambem me parece , até porque alguns nossos conterraneos e conterraneas ja se manisfestaram algumas vezes
José
ah sim? quem por exemplo?
Luis
a Cristina a Elsa o Anibal a Tania a Anita etc etc e muitos que embora anonimos me parecem ser de Bogas
e alguns vizinhos sem contar com gente que não tem a ver com a nossa terra mas se interessaram e gostaram das imagens que tenho publicado
José
a elsa é quem? e o anibal?
Luis
o Anibal é filho da Conceição Mota e do Antonio das Rochas acho eu....
a Elsa é neta da ti Preciosa do Oldeiro e nora do Luis Alves (cabaterrita) já tas a ver?
José
ok agora ja sei sim, o luis alves é meu primo por aliança
Luis
como é por aliança??
José
esta casado com a minha prima, a fatima do tio josé gonçalves
Luis
ahh por isso é que ela me disse que era neta por afinidade do ti zé gonçalves
Luis
Oha lá Zé e agora falando do HI5 o meu irmão mandou te um pedido de amizade?
O godinho antunes que vive em Tours
José
o Fernando? eu vi e aceitei, mas eu nao o conhecia
Luis
ele é um pouco mais velho que tu
e fez a escola pimaria toda em, Castelo Branco
José
quantos irmaos são vocês? vós os dois, o Pedro e mais?
Luis :
sou eu, o Fernando, o Pedro. a Lidia e a Salete eu e a Salete estamos ca em portugal
os outros estão em frança
José
a nao ser o Pedro que tenho uma lembrança dele porque andei com ele na escola tenho pouca lembrança, e agora tu que conheço melhor, é fixe encontrar assim pessoas la da terra
o Fernando tem quantos anos?
Luis
54 ou 55 ,não me lembro bem
José
vamos poder alargar os nossos contactos
Luis
era tambem esse o propósito com que lancei o Ecos de Bogas de Baixo
mas parece me que não foi como eu pensava
José
logo vai
Luis
porque embora eu não me recordasse de ti e de muitas outras pessoas da tua idade e mais novas, lembro me muito bem dos vossos pais e demais familiares
José :
depois que comecei a converssar contigo ja entrei em contacto com muitas pessoas la da terra que ja nao vejo a varios anos
Luis
eu contribui alguma coisa para isso? Fico contente
José
muito, atraves dos teus conhecimentos e tambem me deste Vontade para isso
Luis
ja me sinnto compensado por saber disso contando que outros terão tambem feito como tu
divlgar as nossas raizes compensa
alegra nos conversar do passado das nossas gentes, do presente e tambem do futuro das nossa aldeias
José:
nunca desistas, é uma coisa que tu fizeste que é enorme, é perda nao haver uma duzia como tu , ou mais
Luis
ha muitos como eu cada um das suas terras: eu conheço muitos que teem feito mais que eu pelas suas aldeias , muitos vizinhos nossos
José :
mas eu digo la de bogas
Luis
de Bogas as pessoas acomodam se e parece me que para a maior parte tanto lhes faz que seja amarelo como branco
não estão lá
Alguns até me prometeram alguns trechos antigos sobre Bogas mas não recebi nada até hoje, devem ter mudado de opinião
Bem Zé continuamos esta conversa noutra altura
Adeus até qualquer dia

PS_ Oh Antõnio Santos eu não estou agora a ver quem és mas és um conterraneo meu por isso estás á vontade para entrar sempre em contacto comigo através do blogue ou mesmo por mail tens o meu endereço no topo da pagina
Quanto ao Zé Mota tambem podes escrever o que quiseres para ele através do blogue já que ele entra varias vezes e Lê, ou então podes escrever lhe por mail para jsnn31@hotmail.com
Um abraço e aparece sempre

domingo, 14 de setembro de 2008

bogas de baixo

Saudações de amizade a todos os leitores deste blog


Ca estou eu mais uma vez para descrever um pouco do que vivi e do que continuo a sentir hoje de minha terra de nascença ou seja Bogas de Baixo

Em 1958 nasci numa pequena casinha por cima da forja do tio zé ferreiro, pequenito fui para Castelo Branco mas ficou me sempre dentro do corpo e na memória a aldeiazinha Bogas de Baixo
Quando fui batizado foi me dado o nome Pedro por uma razao ou outra o que eu sei é que o meu avo que Deus tenha junto dele dizia sempre: nem bom Pedro, nem bom burro negro e nem a porta ve los
mas era assim

E Bogas de Baixo aldeia tranquila ao maximo naqueles tempos onde nada se passave de importante foi evoluindo pouco a pouco
e de ha uns tempos para ca evoluiu mesmo muito e depressa
depressa demais talvez!!!!! porque hoje ja nao reconheço a minha aldeia
e tambem pouca gente (a nao ser alguns elementos familiares) e poucos mais me conhecem
mas quando vou a Bogas de Baixo e logo que ultrapasso o Orvalho ja me sinto nas minhas quintas (como se diz)

Quando falamos de saudades deviamos mudar esta palavra pois é verdade que temos saudades desses tempos que ja nao voltam mas ao contrario de saudades deveriamos dizer tempos alegres e felizes onde tudo era permitido visto que o mal nao existia(ou mesmo muito pouco)
a unica coisa que tinhamos a fazer era vivermos alegres e felizes

viver alegre e feliz
palavras que hoje sao dificeis de dizer seja onde for
por isso quando relembrarmos a nossa infancia !!!! saudades sim mas do tempo feliz e alegre


Bogas de Baixo terra de boa gente
sem esquecer o Fojo e Urgeiro onde deixei os meus sorrisos de criança


Pedro Godinho Antunes

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

RECORDAÇÕES

Caro Luis, como estás?
Sua conversa com o José é sempre muito divertida e também muito infomativa.
Meus caros, é emocionante vê-los recordar com tanta emoção os tempos passados na Terra. Mas o que é a vida senão um bocado de recordações daquilo que fomos, daquilo em que nos transformamos? Senão o que pensariam de nós aos nossos filhos, amigos ???
Muitos dizem que lembrar o passado são coisas de "velho", pois digo que lembrar o passado é acariciar a própria alma e essa com certeza não envelhece nunca.
Apesar de ter passado apenas 3 meses na Malhada Velha, parece-me ter sido uma eternidade.
Tinha apenas 7 anos mas as recordações são muito vivas.
Lembro-me de ajudar as primas a pastorear as ovelhas e também ao meu avó a colher azeitonas e ficar com as pontas dos dedos congeladas pelo frio, a participar de uma "debulha" muito animada na casa dos primos Duarte Antunes, enfim também recordações...
Lembro-me (esta sim é muito boa!) do vinho maravilhoso que meu avô produzia e apesar da idade consumia a vontade (demais!!!) e acabava alcoolizada para desespero de minha mâe e alegria dos pequenos da aldeia com quem nos divertíamos eu e minha irmã. Aquilo era uma farra!
Tenho recebido imagens de bogas de cima, do fundão e até da Malhada num site chamado Arquivo fotográfico do Fundão, resgatei de lá fotos muito antigas e pude ver as mais recentes. Com certeza deves conhecê-lo é muito bacana!
Vi a enquete no blog e já votei, gosto muito! Mas explique-me a expressão "estou me nas tintas", pois não consegui atinar o que significa.

Fique bem!
Maria Teresa

PS: É um incentivo para que eu continue a postar nesta pagina.
Quando se recebem mensagens deste género , de gente que não habitando perto de nõs traz tambem as suas raizes bem guardadas no seu coração
Obrigado Teresa pelas palavras encorajadoras que me tem enviado
É tambem um incentivo á juventude de Bogas para que comentem, entrem em dialogo, porque quando pensei construir este blog nunca foi minha intenção faze lo com o intuito de se tornar um jornal da aldeia, até porque não vivo lá.
Mas contava que através dele a juventude de Bogas espalhada pelo País e pelo mundo se interessassem mais e fizessem deste blog um grande elo de ligação entre todos
Continuo a deixar o repto á juventude de Bogas
Participem

domingo, 7 de setembro de 2008

Sobre a nossa Aldeia uma animada conversa


Á conversa com o Zé
José :
ola Luis
Luis
Oi José ça va?
tudo bem contigo?
José
tudo e por ai também?
Luis
aqui vai tudo andando sobre rodas acabou se agosto vamoss la ver se o verão continua
José
daqui a pouco estamos no inverno, mesmo se faltam 4 meses, veras que se passara depressa
Luis
está quase a chegar ao natal
José
é mesmo
Luis
o pessoal de bogas que mora aí por essa europa fora ja devem estar em casa ou a caminho . acabou se o bem bom mas para o ano ha mais
José
é mesmo verdade
Luis
viste a resposta da Teresa sobre a Malhada Velha
José
sim e fiquei contente de ver que ha pessoas que se interessam, apesar de não adiantar grande coisa para o desenvolvimento das nossas aldeis faz prazer
Luis
é isso mesmo quando pessoas de fora da terra se interessam em discutir os nossos lugares isso dá prazer:
infelizmente a maior parte do pessoal de Bogas esta se as tintas
José
também fiquei contente de saber que somos nos que mantemos o dialogo, mesmo apesar de não ser muito
Luis
tu não tens por aí umas historias sobre Bogas que se tenham passado no teu tempo ou em tempos dos nossos pais?
José
sei la, depende sobre qual assunto, sabes que coisas houve muitas
Luis says:
o assunto fica ao teu critério descobre um
José
é um pouco dificel para mim, sabes que eu não quero que seja mal intrepretado e além disso preciso duma ajuda, como sabes eu sai de la tinha 16 anos e a évolução da nossa lingua não a segui, e por isso tenho um pouco de dificuldades de saber explicar
Luis
se me escreveres isso por mail eu dou um jeito e se quiseres a história ou histórias poderão ficar sem autor
José
agora assim de repente não sei, da me uma ajuda dizendo sobre o qué gostarias, e depois verei o que posso fazer
Luis
por exemplo sobre a banda. E se conheceres alguma coisa sobre a apanha do milho até leva lo ao forno para fazer a broa manda me isso por mail:
da para escreveres apagares e voltar a escrever se pensares em algo de novo
José
sobre isso acho que poderei fazer alguma coisa, mas com tempo

Luis
o meu irmão esta me a dizer que está aí mau tempo , é verdade?
José
aqui em toulouse faz bom, pelos vistos, mesmo melhor que no principio do més
Luis
então deve ser só em Tours
José
la para cima o tempo nao e como aqui, nos aqui é quase o clima africano, nao estou a brincar, mas é diferente de la
Luis
eu sei que aí para os lados do mediterraneo é outra loiça
José
é mesmo
Luis :
tens visto o blogue? eu tenho o quase sempre aberto só para ouv ir a musica
que vou mudando de vez enquando para divertir a malta
José s
sim, continua, tu és um artista para isso
Luis
gostas das musiquitas? tens alguma preferencia?
José
todo o blog é bom e muito bem organisado
Luis
não é a opinão de todos: se vires a enquete, ha la respostas de que é mau
José
sabes que aqueles que criticam estao longe de poder fazer melhor, e é por isso, continua dizendo aquilo que tens no coracao
Luis
eu gosto mesmo da nossa terra, aprendi a gostar mais ainda por não poder ter tido a oportunidade de morar nela
José
eu também gosto muito, e nao podes imaginar o mal que me faz de la nao ir ultimamente, mas espero que as coisas mudem, o que eu passei la nunca o esquecerei, aquilo eram tempos que nunca mais voltarao, mesmo se havia muita miséria, mas ao mesmo tempo havia muita riqueza noutras coisas, e isso nunca mais voltara a ser:
acredita que era um canto do Céu, mas nos nessa altura nao nos aperceviamos daquilo que tinhamos
Luis
eu embora tenha passado ainda menos anos que tu na nossa terra lembro me de muitas coisas boas que senti por lá
mas como te disse são as saudades que nos fazem gostar ainda mais
José
é mesmo,sabes que penso muitas vezes desses belos tempos e apesar de agora termos uma vida mais cofortavel, ha coisas que nunca mais voltam.
é com todo o gosto que comunico contigo, e pela primeira vez posso apresentar certas coisas que nunca tive tal ocasiao
Luis :
Estás á vontade José
José
é bom converssar com alguém que esta dentro do mesmo assunto e que tenha a mesma maneira de ver as coissas
Luis :
olha José,ainda sobre Bogas, posso garantir que tinha coisas maravilhosas
José
da mais uns anitos de vida, (espero que sim)
Luis
Lembro me de quando lá ia e provava o saboroso mel que o Sr Anibal crestava
Todas as mulheres em Bogas sabiam confecionar bem as saborosas broas de milho
Mas lembro me especialmente daquelas maravilhosas que eram feitas pela minha prima Maria das Dores .Tinha cá uma máozinha que eu vou te contar
Depois havia as tibornas no lagar
Aquele pão torrado e embebido em azeite puro acabado de fazer e acompanhado de uma boa pinga caseira?
José says:
A Maria das Dores era uma mulher que mesmo apesar de nao ser da minha familia gostava muito dela, e tenho muita pena do filho dela o Luis que era um grande amigo meu
o meu pai foi lagareiro muitos anos e sei muito bem o que era a vida no lagar, que regalo esse pao torrado
o Pedro que foi feito dele? ja ha uns anos que nao o vejo
Luis says:
Asegundo me disse a Maria quando estive la agora pela festa ele la continua pelo Norte
José says:
a Elvira tinha mais um ano que eu e o Luis tinha menos um ou dois anos
Luis says:
A Elvira segundo me consta contiua por Leiria
José says:
acho que sim eu era muito amigo deles, era como familia, apanharamos muitos anos a azeitona a meias para o senhor Alberto da loja
Luis says:
Olha la como estiveste em Bogas até aos 16 anos lembras te concerteza da nossa Banda... e andaste la?
José says:
foi so uns seis meses antes de vir para frança, ainda aprendi um pouco, comprei aqui uma trompete, mas nao tive tempo para aprender muito, mas ainda dava uns pequenos toques
e gostava mesmo daquilo
Luis says:
Eu tambem ainda hoje me desloco só para ouvir uma banda tocar
E continuo a ter o meu saxofone em casa Agora não toca porque está a precisar ser sapatilhado
Eu Corri a beira baixa e beira alta a abrilhantar festas e romarias
José says:
na altura era o saxofone que gostava de aprender, mas como tenho dois dedos cortados com as bombas dos foguetes nao podia tocar isso
e aprendi no bombardino
Luis says:
Em Bogas andei pouco tempo mas depois toquei na de castelo branco Fundão Aldeia Nova e Peroviseu. Sempre que podia dava uma ajudinha
Luis says:
O bombardino é um dos instrumentos que me enchem as medidas pq sobressaem tocando em segunda voz
José says:
eu também gostava
Luis says:
A esse instrumento chamamos Barítono
José says:
é isso mesmo
agora quando fui a Portugal levei daqui um saxofone e um cornetim
que ficaram la em casa
eu adoro estrumentos
Luis says:
Eu adoro ainda mais ouvi los tocatenho um amigo que é um barra em trompete e fizemos grandes farras os dois
Luis says:
Houve algua história mais relevante na banda que te recordes
José says:
isso é enorme
eu houvi contar isso muita vez ao meu Pai, mas eu pessoalmente nao me lembro, sabes que o meu pai andou la a volta de vinte anos
Luis says:
O teu pai e muita gente da tua familia. Tios especialmente
A França acabou com ele e foi pena
José says:
sim, sim, e lembrome muito bem das festa la animadas pela nossa banda que era um espetaclo, e claro que foi uma granda perda aquilo ter acabado, mas como dizes, a França acabou com ela, por isso é que eu ja nao deu para aprender grande coisa, foi so depois com o Sr. Afredo Gama quando voltou de Lisboa é que la deu uns toques
Luis says:
Andei com o Sr Anibal e com o sr João
José says:
sim eu lembro-me deles mas eu nunca andei com eles, esses eram uns grandes artistas
o João até fazia cantar o bombardino na hora da missa
Luis says:
Tinha a musica no sangue era um artista em trombone de varas
José says:
também
Luis says:
Em bogas era sempre festa aos domingos e até noutros dias da semana
Quando a banda regressava de qualquer festa fazia sempre uma arruada em Bogas e estoiravam foguetes oferecidos pelas comissões de festas
José says:
era mesmo isso,bom Luis, tive muito prazer em ter mais uma vez uma comverssa contigo, e nao sei em quanto tempo porque tenho muito travalho, mas espero poder um dia destes fazer un resumo sobre certas coisas la da nossa aldeia, entretanto recebes um grande abraço e até breve
Luis says:
Xau José é sempre com muito apreço que converso contigo contigo
José says:
para mim também

Vou aproveitar para deixar aqui um emaranhado de imagens lindas da nossa terra e arredores especialmente vindas do Américo Frade a quem daqui saudo

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Homenagem ao Padre Branco

Toda a população de Bogas de Baixo, especialmente os que nasceram antes de 1960, recordam se certamente do Padre Antonio Francisco Branco Marques.
Este homem que marcou de certa maneira a minha adolescencia, já que foi ele que me incentivou a ingressar no seminário, foi agora Homenageado na paróquia a que presidiu desde 1965 S. Vicente da Beira.

O padre Branco muito fez para o desenvolvimento de Bogas e Janeiro de Cima, no tempo em que ainda não havia estradas asfaltadas na nossa região, era ele que com o seu jipe puxava os carros que se atolavam e patinavam nas estradas em especial na subida da Colada até á Sarnadela
Deixou saudades em muita gente aquando da sua partida.
O padre Branco viveu alguns anos em Bogas de Baixo com sua mãe e irmã habitando na altura a casa nova da paroquia
A ele toda a população de Bogas em especial a juventude desse tempo deve parte do desenvolvimento da terra. Muitas iniciativas culturais, passeios e convivios entre a população

Ha quase 50 anos a presidir á paroquia de S Vicente da Beira, foi agora homenageado pelo presidente da Junta de Freguesia que ofereceu um auto-retrato do paroco em nome da população
Foi ainda decerrada uma lapide com o nome do padre Branco numa rua da Vila
Ao mesmo tempo o Padre Branco comemorou o seu 84 aniversario
Pessoalmente faço votos que continue a brindar nos com a sua presença por muitos mais anos
O padre Antonio Francisco Branco Marques é merecedor de todas as homenagens que lhe sejam feitas
As homenagens devem ser prestadas em vida para que o homenageado sinta o respeito que a sociedade lhe atribui
Por isso a cerimónia encerrou com um lanche convivio onde o Padre Branco se mostrou emocionado e satisfeito
Padre Branco, em meu nome e em nome dos meus conterraneos, os nossos agradecimentos

Bogas de Baixo jamais o esquecerá

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Homenagem aos comentadores


Apresento os meus agradecimentos aos comentadores publicando alguns comentarios começando pelos mais antigos

DORA
Adorei tudo do blogger.Vocês, portugueses, são DEMAIS!!
Estou a viajar por esses caminhos daí, principalmente na cultura e sabedoria dos portugueses.
Adoro a sensibilidade deste povo, e o talento excepcional para o romantismo das coisas.
Sou uma brasileira apaixonada pela poesia de voces.
Coloquei esse blog como "favorito" para ir lendo, aos pouquinhos, as lindas cronicas, mensagens, e poesias.Parabens! Gostei!

Anônimo disse...
Aqui voz do goulinho é delirante ouvir esta musica e ver éstas belissimas fotos um abraço vai um abraço cá da serra do açor



Tudo o que possa fazer para divulgar a nossa região, é sempre mais uma voz.
Todas as histórias, mesmo aquelas que nos pareçam ridículas. Ajudam a medir
a nossa dimensão humana. Acompanha-me há uns anos um velho livro sobre a
freguesia do Orvalho. Que muita informação me tem dado. Que pena não se escrever mais,
cada um de nós pode ser uma ajuda, para o conhecimento
dos lugares e saberes locais. Que se escreva. Um abraço. Diamantino Gonçalves

Anônimo disse...
Ola amigo e obrigado por este blog.
Sou filho de imigrante e custumo ir a bogas todos os anos em agosto. Uma lindissima
terra. Passei tambem momentos memoraveis no poco caldeireiro enquanto criança
(tenho agora 31). Passava la dias inteiros, a minha mae devia ir me chamar para sair
de la ! Numca trocaria o poco para uma praia, era a nossa praia. Os saltos da pontaria
(de pé, numca chegei a saltar de cabeca mas havia gente que o fazia) eram sempre o
"show" para os que estavam em baixo !
E uma pena ver que o poco esta agora num estado lamentavel, e as criancas de agora
ja nao vao para la. Um abraco.


Asno disse...
Parabéns por mais um blog vizinhos!
Já se encontra na montra do Casegas Vai Nua.

Bom trabalho e cumprimentos asininos

OLA
mais uma vez ca estou a ver as novas da nossa terra
procurei ver se encontrava un artigo sobre a festa da nossa terra
mas pelos vistos ainda nao à aqui users de bogas de baixo
era un prazer ver aqui algumas fotos da nossa festa da nossa senhora das dores
venhao muitos aqui deixar novas desta linda terra que é bogas de baixo


tania disse...
A festa de bogas e' so' a melhor la da zona =')
Saudades


Anônimo disse...
Olà !

Para jà, muitas felicidades por este blog sobre Bogas de Baixo, que està um "espectaculo"!!!
Os meus pais sao natural de Bogas de Baixo e tambem Bogas de Cima. Este ano, como todos
os anos, fui passar as férias a Bogas de Baixo mais o meu marido e o nosso bébé que vai
fazer 6 mês.Estiveramos 4 semanas em Bogas. Foram umas boas ferias de descanso e muitos
passeios à descuberto do nosso pais. Jà regressamos à França e temos muitas saudades,
jà que os nossos pais là ficaram.

Diolinda disse...
Parabens pelo texto, Bogas merece muito mais, e o seus habitantes tambem, ja não me admira
Bogas ter ficado esquecida tanto tempo. Agora fazemos parte de um Concelho...

Anônimo disse...
Parabéns meu caro amigo, finalmente um blog interessante e actual sobre a nossa terra.
Pena que para muitos dos actuais habitantes de bogas seja ainda complicado aceder a estas
tecnologias, mas por mim vou fazer o máximo por divulgá-las.
Quanto ao assunto que aqui se comenta, espero que algumas pessoas deixem de olhar tanto
para o seu umbigo e se preocupem também com as necessidades desta tão nossa querida terra.
Vamos para a frente com a praia fluvial e com outras obras que possam melhorar um pouco a
difícil vida dos habitantes de Bogas. Se remarmos todos para o mesmo lado decerto será
mais fácil. Um abraço a todos os Boguenses e um comprimento especial a este bloguista que
merece o nosso apoio.

Olheiro disse...
O meu sincero obrigado..
Fiquei surpreendido pela positiva por ver retratada a imagem da minha aldeia nas novas
tecnologias.
Parabénde ao mentor desta ideia e continuem.
Em relação às obras realizadas na freguesia de Bogas de Baixo só tenho de dar os Parabéns
a toda a equipa da junta, já que, hoje a freguesia está ao nivel das restantes do concelho.
No que respeita às obras do Covão, POR FAVOR, deixem trabalhar quem tem vontade para tal
( o que já é raro para essas bandas ).

Até Breve

O Olheiro

Anônimo disse...
Eu so gostava que Bogas seja mais perto de castelo branco, para poder la viver e trabalhar
na Cidade. Bogas de Baixo é bonita pelo seu sossego e calma, pela tranquilidade da sua
população, mas não é de todo para esquecer, e temos que fazer os possiveis para que isso
não acontessa

boguense saudoso disse...
Caro conterrâneo.
Em 1º lugar quero felicitá-lo pelo blog, muito bem apresentado e que como Boguense,
fico muito contente.
Não devo conhecê-lo, mas, também sou sobrinho do tio Zé (ferreiro), mas do lado da esposa,
tia Maria do Carmo.Fiz a minha 4ª classe em Bogas, tendo antes vivido em Angola e
posteriormente em Castelo Branco.
A maior parte dos Boguenses vivem fora da sua terra natal, pelo que gostaria de fazer
aqui um repto: Começar-se por promover-se convivios dos Boguenses por regiões e
posteriormente um mega convivio.


Anônimo disse...
houje mesmo descubro este site de bogas de baixo que me viu nascer ja a alguns anos
(52)au 25/11
estou muito contente de poder ver sitios e serras que eu percori como pastor mas serras
da ladeira
fico muito contente

Fabiano Roberto disse...
nenhum lugar neste planeta é um paraíso, porém o mais importante não é o que está a nossa
volta mas dentro de nós

Entretanto é sempre maravilhoso voltar a um lugar que gostamos e melhor ainda se podemos
encontrar um pouco de ar puro

a.bad.girl disse...
Bogas de baixo é mesmo um lugarzinho no paraiso! Nem parece ser portugal :)
um bjinho
Bad

Anônimo disse...
não conheço bogas de baixo,
nem tão pouco sabia da sua existência.

Agora uma coisa é certa, se existissem mais blogs como este,
todos iríamos ficar a conhecer mais "paraísos" como este.

Um grande Bem Haja para o criador deste blog!

Tania disse...
BOGAS DE BAIXO E' A MELHOR TERRA DE PORTUGAL !!


Entre linhas... disse...
Bonitas paisagens,locais de sonho e de sossego,lindas viagens virtuais,uma forma
de divulgar aquilo que é "nosso".
Bjs Zita


Entre linhas... disse...
Que bom neste mundo do virtual dares a conhecer a tua terra,é muito dignificante da
tua parte,eu desconhecia esta linda região de nosso linto POrtugal.
Bjs Zita

Gardunha disse...
É sempre bom encontrar estes espaços de partilha...
Aprento-lhe outro: pedacosdealcongosta.blogspot.com
aguardo a visita. E se quiser fazer um link, agradeço

Ecos... disse...
Realmente a sua aldeia é mt linda!

Quando tiver oportunidade farei uma visita.

Resto de bom dia....

gardunha disse...
Os melhores acessos trazem, mas também levam. E o investimento nas freguesias rurais,
comparativamente, e ainda que em proporção com a cidade, são insignificantes. Primeiro
foi e emigração e a migração para outras localidades. Actualmente vê-se muito a
deslocalização para a cidade mais próxima. Os pais vão, os filhos nascem lá e acabam por
perder a ligação à terra.
Uns vão, outros vão, a aldeia fica com menos gente e os outros, perdendo-se dinâmica social,
acabam por ir também. Em alguns sítios, como é o caso de Bogas, infelizmente, os cinemas
ficam longe, o hiper fica longe, o hospital fica longe. Enfim, um conjunto de circunstâncias
que acabam por pesar.
Não tenho uma resposta para a pergunta. Não sou de Bogas, não conheço a realidade e o
problema engloba várias variáveis.
Mas é uma pergunta pertinente, para uma situação transversal a muitas freguesias, embora
numas se note mais que noutras.
Também já fiz uma pequena abordagem ao assunto em Pedaços de Alcongosta
Pedaços de Alcongosta
ah, já fiz lá um link para aqui

João P Moreno disse...
Olá, achei seu blog por acaso. Já fui a Portugal diversas vezes, mas não conhecia sua
aldeia. Quando for à serra da Estrela da próxima vez, passo por aí.
Abraços


Z.Roque

Sò de ver o conteudo jà se bebia mais um copo um grande Bravo ao Sr Antunes tem um
blog muito bem confecionado!....


Anônimo disse...
boa tarde Luis
Como me deu o seu blog, 3 vezes,de manhã, na sala Paris, vim agora vê-lo. Foi pena
entrar como visitante, é tão impessoal este nick que nunca os levo a sério. É um blog,
muito bem dirigido a quem não conhece a sua região, é o meu caso,um dia, quem sabe,
o Luis me vai oferecer umas cerejas,aí, em Bogas de Baixo, onde eu me deslocarei.
Um beijo
ana.marta

anibal disse...
Luis Antunes, quero agradecer-lhe pela existência deste belo sitio.Quase todos os dias
entro nele para saber novas da minha terra.Apesar de só ter feito em Bogas a 4ª classe
e depois de só ir 3/4 vezes por ano até ao falecimento do meu avô (Joaquim Dias de Carvalho
- Mota) recordo com muita saudade peripécias que vivi....(a apanha do milho,as debulhas,
as vindimas, etc).Na 4ª classe tive como colegas que me recordo o Herculano, o Amadeu,
o Zé grande, o Ventura, o António Gama (o/as que me desculpem, mas já se passaram muitos
anos.....Um abraço e continue a dar-nos novas da nossa terra.
Anibal Luiz

Teresa Catarino disse...
Caro Luis, assim como você também sou antunes e fiquei emocionada ao ler o texto,
pois fez-me lembrar dos anos já passados em que conheci o meu avô Antunes da Malhada Velha
e ao pé dos castanheiros de sua propriedade pude ouvir muitas histórias dos "mouros".
Era mágico entrar no tronco do castanheiro e apanhar os ouriços e levar as castanhas
para mais tarde atirá-las ao lume e vêlas estourar. Hoje moro no Brasil
(conheço muitos eucaliptos!!!) e ao ler o seu texto pude verificar que pessoas como você
conseguem resgatar esses sentimentos que a muitos passa desapercebido, Parabéns! Meu nome
é Maria Teresa Catarino Antunes e meu avô chamava-se Antonio Antunes Bento, um portugues
que amava seu pedaço de terra e tudo o que ela lhe dava em troca (saudades

Caro Luis,a mim parece que Bogas é realmente um pedaço do céu! Aqui no Brasil, há cidades
onde a limpeza e a modernidade não são sequer cogitadas. Há fome, talvez não na proporção
em que é vista na África. Temos que aprender (falo por mim)a valorizar o que ainda nos
resta para de forma consciente lutarmos pelo que nos falta!
Lindas fotos!

INALDA disse
COMO GOSTARIA DE SER UMA PORTUGUÊSA PARA AJUDAR A CONSERVAR MAIS E MAIS AS RAÍZES DE CADA
UM. APENAS SOU UMA AMANTE DE PORTUGAL. PENA TER CONHECIDO MUITO POUCO. MAS TENHO CERTEZA
QUEM EM BREVE VOLTAREI E BOGAS SERÁ A PRIMEIRA CIDADE QUE IREI VISITAR. PARABENS PELO BLOG.

Teresa Catarino disse...
Caro Luis fico aqui a invejá-lo nas suas andanças. Conheces a Malhada Velha?
essa Casa do Cogumelo fica na aldeia? Meu avô que lá residia possuia uma bela casa de pedras
. Xisto como chamais!Era maravilhosa!Parece que sinto os codores ao ler o seu texto.
Belo, muito belo!

J.ROQUE disse...
Serà verdade tudo isso?Acredito porém embora não conheça,Mas desde jà fica-me na memòria
para descobrir um dia mais tarde, a beira baixa assim como a beira litoral tem muitas
aldeias maravilhosas e acolhedoras porquê ir mais longe se temos o paraiso ao pè de nòs!...


Beltane disse...
eu fico encantada com esta imagens e descrições destes lugares. é incrível, é lindo,
magnífico, belo, apaixonante, cativante, paradisíaco, nem sei mais como descrever
porque é fantástico

Anônimo disse...
Caro amigo cá estou novamente a cumprimentar todos os abitantes de BOGAS nós aqui do outro
lado da serra ademiramos o seu trabalho e já o temos no nosso blog como amigo força para
levarmos lonje o nome das nossas aldeias para que pessoas de outras terras nos venhão
visitar e nos ademirem já que muitas vezes aqueles que nos são proximos não nos dão a
atenção que as nossas terras merecem refiru-me aos poderes publicos VOZ DO GOULINHO


Asas da Montanha disse...
Parabéns pelo blog.
Tu o que for feito para dilvulgar as nossas terras é um serviço maravilhoso.
Força!
Asas da Montanha

Anônimo disse...
Caro Luis cá estou mais uma vez do outro lado da serra.Dando voz ao blog
VOZ DO GOULINHO uma aldeia pequenina mas como dizia S.PAULO quando nos sentimos pequenos
é que somos grandes é como a sua que eu não conheço mas é divulgada por um homem grande
de espirito porque gosta dela luta por éla força LUIS
Cpmts Antonio Assunção

Anônimo disse...
Olá a todos os que visitam este blog, pessoal de bogas e não só.
Muitos se recordarão certamente dos bons momentos que passamos tanto no café central
como no ponto de encontro (é engraçado mas só agora me apercebi do verdadeiro nome,
para mim sempre foi o café do Zé Ferreiro). No entanto não posso deixar de referir um
especial carinho por cantinho que todos nós gostavamos de frequentar... esse mesmo a
catacumba, que saudades desses tempos. Não esquecendo alguém que já não está entre nós
e que nos proporcionou tantos momentos de alegria... onde estiveres o meu obrigado
(adorei este comentario por nos ter feito recordar um miudo impecável que
infelizemente nos deixou cedo de mais)

Luis até apetece dançar que maravilha a VOZ DO GOULINHO mais uma vez dar lhe os parabens
pelo seu trabalho é expetacolar.
obrigado pela gentileza do seu comentário o blog VOZ DO GOULINHO tambem agrade-se eu aqui
o faço em nome da minha filha pois o blog é dela.Se algum dia vier a Lisboa eu estou a
trabalhar na AV.ALMIRANTE REIS gostava de o conhecer gente que goste da terra onde
nasceu tem para mim toda a ademiração.
Um Abraço
Antonio Assunção

Maria de Lourdes Cousinha Filipe Martinho disse...
Tenho visitado frequentemente o vosso blog, até porque já estive na vossa aldeia.
Fui numa visita da Junta de freguesia de Fernão Ferro, onde resido, ao projecto de
tecelagem artesanal Flor do Linho. Tive muita pena de já chegarmos a Bogas durante
a noite, mas deu para ver que é uma aldeia muito semelhante às do outro lado da serra.
É que o meu Sobral Magro não é o vosso vizinho do concelho da Pampilhosa da Serra,
é o Sobral Magro do concelho de Arganl. No entanto, a região é muito idêntica.

Teresa Catarino disse...
Caro Luis, conheces o ditado que diz que o melhor da festa é esperar por ela?
Acredito que tenhas esperado por algo que não encontraste e ficaste com um não sei
que de amargo! Se estiver errada, perdoe-me mas é o que tem passado. Até demorei a
comentar pois podia ser um impressão apenas, mas ao ler esta última postagem, tenho
que confessar que fiquei triste! Esperava que a tua ida ao lugar que tão bem
descreves lhe trouxesse alegria e paz de espírito...tenho certeza que esses sentimentos
são passageiros e logo se transformarão numa imensa vontade de rever tudo novamente,
pois lembranças quando possuem raízes profundas não desaparecem por encanto ou magia,

ao contrário só nos fazem ter a certeza de que estamos vendo tudo com outros olhos...
Fique bem!

Caro Luis daqui fala o pai da rapariga que tem o blog VOZ DO GOULINHO o mesmo não tem sido
actualizado por doença da mesma mas com a graça de Deus tudo ade passar e em breve voltara
a postar o que lhe quero dizer é o seguinte não sei se conhe-se o blog O ROUXINOL DE POMARES
Faça-lhe uma visita e veja as lindas fotos do nosso monte do colcurinho na serra do açor .
um abraço grande o Luis para mim já é uma familia.
Antonio Assunção

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Aviso á Navegação

Hoje vou dar largas á minha indignação



As autoestradas são um beneficio enorme que temos vindo a conseguir com o passar dos anos
e após o 25 de abril
Evidentemente que são caras e andam sempre com obras a fazer remendos aqui e acolá
e nós a pagar na mesma sem que tenhamos a comodidade que seria suposto ter
Aqui aplica se aquela maxima de que para receber é á portuguesa mas para pagar
é á europeia
Mesmo assim aconselho todos sempre que puderem. circulem pelas autoestradas. Porque para além
de ser mais rapido e menos fatigante é tambem muito mais seguro.
Numa autoestrada era suposto haver acidentes só causados por gente que não sabe conduzir,
beber muito alcool ou possuir um carro em muito mau estado
Agora se as autoestradas são caras em portagens nada podemos fazer para impedi lo mas sobre a
restauração e cafetaria das autoestradas muito ha para dizer
Aconselho toda a gente que lhe custe ganhar dinheiro que tenha muita atenção
Devem antes de iniciar a viagem abastecerem se de generos alimentares e bebida para
poderem parar em qualquer area de serviço e matarem a fome e a sede a preços justos
Sim porque as cafetarias nas areas de serviço cobram o dobro dos cafés e restaurantes
das outras estradas e deveriam a meu ver cobrar o mesmo
Se as bombas de combustivel praticam o mesmo preço das suas congéneres espalhadas por todo o Portugal
era justo que o mesmo acontecesse na restauração
Abasteçam se em terra e continuem a usufruir das areas de serviço para descansar e piquenicar.


DIRIJO ME AGORA À REDACÇÂO DO JORNAL DO FUNDÂO


è um jornal que leio há muitos anos e sempre o considerei um semanario regionalista
Para mim o melhor do nosso País fundado por um grande fundanense ANTÒNIO PAULOURO.
A cada semana que me cega a casa o jornal do Fundão estou sempre á espera de poder
saber tudo o que se passa no distrito de Castelo Branco especialmente no nosso Concelho
do Fundão.
Fico geralmente desapontado porque sobre Bogas de Baixo nunca vejo nada. Será que não acontece nada na minha terra?
não nasce ninguem? não morre ninguém? não se faz algo de novo na minha terra?
não acredito
Apelo por isso ao Jornal do Fundão que de vez enquando envie um dos seus repórteres dar umas voltas pelo concelho ,
de maneira que passe tambem por Bogas de Baixo
Costuma dizer se : Se Maomé não desce a montanha vem a montanha até Maomé
Escrevam algo sobre a minha terra sempre que possivel