Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Aldeias da Gardunha


A Serra da Gardunha  segunda mais alta de Portugal e fazendo parte de uma das mais belas zonas do nosso País COVA DA BEIRA
Esta zona é a capital da produção de cereja em Portugal, com destaque para as freguesias de Alcongosta e Souto da Casa. Outras freguesias com elevada produção de cereja: Aldeia de Joanes, Aldeia Nova do Cabo, Alcaide, Alpedrinha, Castelo Novo, Fundão.

Hoje vou debruçar me apenas numa das localidades da encosta Sul  SÃO VICENTE DA BEIRA
na Freguesia de São Vicente da Beira ainda existem alguns Soutos de Castanheiros, não tão extensos como outrora mas que ainda produzem um quantidade significativa de castanha. A produção florestal abrange o pinheiro bravo e mais recentemente o eucalipto. Existem duas explorações de água de nascente natural, em São Vicente da Beira com as Águas Fonte da Fraga e em Castelo Novo com as Águas do Alardo.
Largo da Praça São Vicente da Beira

S. Vicente da Beira foi vila e sede de concelho entre 1195 e 1895
E aqui nasceram algumas pessoas ilustres onde se podem destacar , José Hipólito Vaz Raposo, viveu entre (1885 - 1953) advogado, escritor, historiador e político monárquico, que se notabilizou como um dos mais destacados dirigentes do Integralismo Lusitano,
                                                           a Fonte

 Felisberto Robles Monteiro  que viveu entre (1888-1958), actor e director da Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro, conjuntamente com a esposa, a actriz Amélia Rey Colaço, e o Conde de São Vicente João Nunes da Cunha (Vice-Rei da Índia Portuguesa)1666 -1668.
                                                    Pelourinho de São Vicente da Beira              

Com um vasto património onde se destacam
Pelourinho de São Vicente da Beira
Capelas de Santo António, de S. Sebastião, de Santa Bárbara, de S. Tiago e da Senhora dos Aflitos
Casa do Ermitão, Casas brasonadas, Museu de Arte Sacra, Hospital da Misericórdia, Calvário, Chafariz., Trecho de calçada romana, Sepulturas dos mouros
Moinho de águaRuínas da antiga povoação e do castelo
                                                            Igreja de São Vicente

Das suas várias  Coletividades sou obrigado a destacar uma  delas, a  Sociedade Filarmónica Vicentina
Cuja direção foi presidida durante anos por um grande  amigo  O saudoso padre Branco 


De fundação remota, perde-se nos tempos o que foi o início de uma pequena povoação no local em que se encontra hoje a Vila de São Vicente da Beira. a que pertecem as seguintes anexas
Casal da Fraga
Casal da Serra
Mourelo
Paradanta
Partida
Pereiros
Tripeiro
Vale de Figueiras
Violeiro

                                                     Capela de São Francisco

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Nossa Senhora do Loreto

Segundo o que li sobre esta Santa  em Italia
No século XIII, os lugares santos cristãos foram ameaçados pelos sarracenos e a igreja construída por Santa Helena foi arrasada. A mesma sorte estaria reservada à casa de Nazaré. Segundo a lenda, Deus fez miraculosamente transportar a Santa Casa para a Croácia, para as localidades de Trsat (Tarsatica) e Rijeka (Fiume), para o Monte Rauniza, com a ajuda de anjos.

Esta ideia surgiu no pontificado do Papa Nicolau IV. Na casa, foi encontrada uma estátua que representava Nossa Senhora coroada e tinha o Menino Jesus ao colo. Ainda segundo a tradição, a Santa Casa foi novamente transportada pelos anjos para Itália, onde foi encontrada por uma senhora chamada Lorette em 10 de dezembro de 1294. Foi daí que provém a história de Nossa Senhora de Loreto. As litanias loretanas foram compostas pelo cardeal Savelli em memória deste acontecimento.

Em Portugal é tambem ums Santa muitovenerada pelo povo e muito especialmente pela aviação civil e militar
Tem um Templo edificado em Lisboa

Situada em pleno coração de Lisboa, no requintado e mítico Largo do Chiado, a Igreja de Nossa Senhora do Loreto tem origens remotas em inícios do século XIII, contudo a edificação actual data do século XVIII.

A devoção a Nossa Senhora do Loreto foi trazida para Portugal pelos mercadores Venezianos e Genoveses que se instalaram na região, daí que a Igreja seja também conhecida por Igreja dos “Italianos


Mas é  em Alcafozes  no concelho de Idanha  a Nova -- BEIRA BAIXA
que se localiza o Santuário de Nossa Senhora do Loreto, a Padroeira Universal da Aviação, venerada numa festa popular anual, em cujas cerimónias religiosas se fazem representar a aviação civil e militar do País. Todos os anos, no fecho das festas, realiza-se uma procissão aérea com largada de pétalas sobre o Santuário

Festas nas quais já participei bem como milhares de pe3ssoas civis e militares muito especialmente da Força Aérea

 Um evento que se vem realizando anualmente a partir de 1956  em Alcafozes
Este ano a festa é já na proxima segunda feira  dia 29 de Agosto  35 entidades do mundo da aviação vão estar reunidos na capela do monte em Alcafozes

domingo, 21 de agosto de 2016

Meu Querido mês de Agosto



Li uma vez em qualquer escrito que o Mês de Agosto é o mês em que tudo acontece

Já aconteceram grandes catástrofes no mês de agosto ás vezes desapercebidos para a maioria dos mortais, porque estamos em férias
Sinónimo de férias, de praia e de descanso. É a época em que os noticiários parecem perder o interesse, já que, aparentemente, não acontece nada. Ou o que acontece simplesmente não chama a atenção. Diz-se que é a silly season por excelência. No dicionário silly season significa época de estagnação. Mas apesar de o parecer, será que agosto é mesmo o mês em que nada acontece e o mundo pára?

Não pára porque também por ser um mês vocacionado para as férias de verão de muita gente, o mundo gira.
São pessoas a deslocarem se de um país para outro, e neste caso em Portugal há milhares de emigrantes que chegam e milhares que partem, é portanto um mês em movimento
Emigrantes em França ao entraram em Portugal pela fronteira de Vilar Formoso, Almeida, disseram à agência Lusa que estão preocupados com os ataques de terrorismo ocorridos naquele país, mas não pensam desistir e regressar. Sentimo nos  mais seguros cá do que lá, mas desistir e regressar a Portugal, por enquanto não, porque estamos habituados a viver em França e, Portugal, é só para férias", disse à agência Lusa Carlos Fernandes, de 37 anos, que reside em Lille

                                                  Em Castro Marim   Algarve


Portugal inteiro parece um arraial pois neste mês a folia as romarias as festas de verão acontecem por toda a parte.
 São milhares de festas aproveitadas para diversão muito especialmente daqueles que se deslocam ás suas terras o máximo uma vez por ano enquanto outros passam décadas sem visitarem as suas aldeias., por vários motivos, saúde  distancia e  situação financeira
Em Castelinho   Avessadas  Marco de Canavezes

Mas continua a ser o principal mês do ano para se rever familia e  amigos de longa data
O mês de Agosto está a acabar, muita gente já não estão em férias, milhares de emigrantes já regressaram aos seus países de acolhimento e o resto estão a prepararem se para encetar viajem

Lá vem mais um ano de trabalho até ao próximo mês de agosto..
Meus carissimos amigos façam boa viajem sem sobressaltos e cá vos esperamos no próximo mês de Agosto

Especialmente para os meus amigos e conterrâneos deixo vos aquele abraço na esperança de vos rever por cá no próximo ano
Cuidado com as velocidades e prestem muita atenção ao chão que pisam e que Deus vos livre destas desgraças


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Verão português


O Verão em Portugal é a época desejada por quase todos os portugueses não só pelas férias repousantes á beira mar, á beira de uma picina ou numa das muitas e ótimas praias fluviais  que podemos encontrar de Norte  a Sul de Portugal,, mas também para que o povo possa divulgar os usos e  costumes das suas cidades  vilas e aldeias, realizando grandes festejos  de verão quase todos  dedicados  ou em honra de Santos e  Santas da nossa Igreja



As  Romarias e as festas que se realizam em todas as regiões do País,são um traço típico da cultura popular e tradicional deste  povo.que continua a ser o que era. Em cada aldeia ou Vila onde se realizam estes eventos Grandes e numerosos   fazem parte das tradições e memórias do povo que luta para manter actual a cultura secular que lhe confere uma identidade muito própria.
Os Ranchos folclóricos fazem parte das nossas tradições e cultura são numerosos  em Portugal onde podemos ouvir  o muito bom o bom e o razável e também algumas vezes o medíocre



Como já  atrás escrevi, as romarias e festas são quase sempre em louvor de um Santo patrono e são divididas em duas  dimensões, a religiosa, com os seus aspectos mais característicos: o cumprimento das promessas individuais ao santo, a missa com o sermão solene e a procissão, e a dimensão profana, para a qual contribuem a feira  de vários objetos incluindo animais, com as características barracas de venda de artigos variados, de “comes e bebes”, assim como as diversões, a música e os bailaricos.
E aqui entra então em funções o rancho folcórico local ou vindo de qualquer outra região

Nas  Beiras destacam se algumas festas com mais relevo como  A Senhora do Almurtão na Idanha, a Senhora de Mércoles  em Castelo Branco, a festa dos Tabuleirods na Sertã, Nossa Senhora da Póvoa em Penamacor, Nossa  Senhora dos Altos Céus  na Lousa C Branco, e ainda aquela que eu destaco por ser do meu concelho Fundão: Romaria de Santa Luzia e Santa Eufémia
Castelejo

A mais antiga e mais importante Romaria da região. Antigamente, os romeiros percorriam grandes distâncias a pé para pedirem a protecção de Santa Luzia para os seus olhos e para os da família e amigos. Para obterem a graça solicitada, os romeiros devem esfregar esfregam um lenço nos olhos que se encontram representados ao fundo dos pés da imagem para, logo a seguir, o passarem pelos seus. Este ritual é cumprido à regra por todos os romeiros.

Manda também a tradição que no dia 14 a Procissão das Velas saia da Capela do Senhor dos Milagres, na qual é incorporado o andor do Senhor dos Milagres para o Santuário de Santa de Luzia. Ao mesmo tempo, desce do Santuário uma outra procissão encabeçada pelo andor de Santa Luzia. Os dois cortejos encontram-se, a meio da rampa, e as duas imagens "cumprimentam-se", seguindo juntas para a capela.
No dia 15 de Setembro realiza-se a missa campal em honra de Santa Luzia e o dia 16 de Setembro é dedicado a Santa Eufémia, com missa campal, seguida da tradicional partilha de merendas

sábado, 13 de agosto de 2016

O Flagelo dos incêndios

Palavras, leva-as o fogo. O que os governantes têm dito sobre os incêndios nos últimos dez anos

13 ago, 2016 - 09:34 • João Carlos Malta
Sempre que há uma grande época de incêndios, ou se prepara a época de ataque às chamas no Verão, as proclamações políticas sucedem-se. Uma análise aos últimos dez anos, mostra como as preocupações se repetem. Com que resultados?

Foto: Lusa
Desde há vários anos todos os governantes fizeram previsões, acautelaram os riscos de incêndio, esbanjaram milhões para o combate mas o principal que seria a prevenção tem ficado esquecido, aconselho os meus amigos e visitantes a visitarem esta página da RR RADIO RENACENÇA


terça-feira, 9 de agosto de 2016

Bogas de Baixo está de luto

Ainda durante as festas em honra de Nossa Senhora das Dores, depois de ter estado em alegre cavaqueira e convivio com os amigos, eis que o Jovem Pedro Barata, ao chegar a casa morreu

Bogas inteira não qurtia acreditar no que tinha acontecido, mas a verdade é que o Pedro nos deixou partindo para o  Reino de Deus


D.E.P.
até sempre



( foto da página https://www.facebook.com/unidosbogasdebaixo )

sábado, 6 de agosto de 2016

Festas de Verão na aldeia



Continuando  com a divulgação das festas e eventos de Verão pela nossa  Beira Baixa, aqui deixo mais 3 sugestões, escolham a que mais jeito vos der



Embora a principal festa desta aldeia em Louvor de  Santa Luzia e  Santa Eufêmia tenha lugar todos os anos  a 15 de Setembro, há pelo meio e  ao longo do ano outras festas perdominantemente no Verão na vinda dos emigrantes em visita ás suas terras e gozando merecidas férias
É já nos proximos dias 13, 14 e 15 de Agosto que vão celebrar se as festas em honra de Nossa Senhora da Silva que depois de consultar o seu programa  parece que vai ter grande animação


Zebras, é uma pequena aldeia situada no concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.....

A aldeia de Zebras fica na freguesia de Orca, concelho do Fundão.Tal como na sede de freguesia, também aqui subsistem vestígios de um velho Castro na zona alta da localidade e onde, posteriormente, foi construída a Igreja das Zebras. 
Devido à existência de várias pastagens, assiste-se a uma considerável criação de ovinos e caprinos. 
Para além da produção de queijo de qualidade superior, a localidade de Zebras tem-se revelado importante entreposto comercial deste produto lácteo na região.
Património:
Casa Grande, Foi solar dos Caldeira Leitão Pinto de Albuquerque e Bourbon Vaz Preto Geraldes (1867). Encontra-se de momento a servir como unidade de Turismo de Habitação.
Igreja:
Igreja de Nossa Senhora da Cabeça, situada ao lado da Casa Grande.

A Feira do Pinhal é uma feira temática que se realiza todos os anos na vila de Oleiros. Sendo o Pinhal uma das maiores riquezas da região, Oleiros estimula a sua preservação e faz deste certame um dos melhores meios promotores desta riqueza. Tendo começado por ser uma feira de artesanato local, depressa se tornou numa feira de actividades económicas, afirmando-se cada vez mais como um evento de capital importância no âmbito da dinamização sócio-económica da Região Centro.

Os visitantes desta feira poderão ficar a conhecer não só os recursos naturais, culturais e económicos da região, como também desfrutar dos Sabores do Pinhal, tais como o cabrito estonado, o maranho, os peixinhos do rio, o bolo de mel, a aguardente de medronho e o vinho Callum. Deste modo, dá-se continuidade a toda uma estratégia de apoio ao turismo local.

( eventos Beira pt)

sábado, 23 de julho de 2016

Há festa na aldeia

Os meses de Julho e Agosto são a escolha  de quase todos os nossos emigrantes e conterrâneos para gozarem as suas merecidas Férias em Portugal muito especialmente nas localidades onde nasceram

É por isso também que as comissões de festas escolhem esta altura para levarem a efeito festas e eventos nas nossas aldeias
 começo pela divulgação das festas em louvor  a Nossa Senhora das Dores na minha terra natal que tem vindo de ano para ano a ter mais êxito muito pelo mérito de todos os mordomos que as têm realizado
Como podem verificar pelo cartaz da festa, os divertimentos não vão faltar, a juventude boguense tem vindo a dedicar se  a  este evento cada vez mais de ano para ano
Bogas de Baixo é uma localidade do concelho do Fundão, com 34,44 km² de área e + ou - 194 habitantes A sua densidade populacional é de 5,6 hab/km².
Foi sede de uma freguesia extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, para, em conjunto com Janeiro de Cima, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Janeiro de Cima e Bogas de Baixo com a sede em Janeiro de Cima. Esperemos que este decreto venha a ser revogado e Bogas volte a ser a Freguesia próspera que foi durante milhares de anos


                                                       BOXINOS

Tambem na nossa vizinha aldeia de Boxinos se realizam no mesmo fim de semana as festas em honra de Nossa Senhora das Necessidades
Boxinos situa se no alto da Maúnça  vertente da serra da Gardunha e pertence á Freguesia de Bogas de Cima  concelho do Fundão
Uma pequena aldeia onde se respira ar  puro
Para  quem estiver interessado em saber mais sobre esta simpátuca aldeia  pode visitar a págima do Clube Boxinos


                                                                ENXABARDA

Ainda no mesmo fim de semana tambem terão lugar na aldeia de Enxabarda situada no sopé da serra da Gardunha paredes meias com a Santa Luzia  no Castelejo a cuja freguesia pertence
As festas em honra de Nossa Sra da Boa Viagem e Nossa Sra das Febres

Depois de Lavacolhos e seguindo o percurso pelas abas da Serra da Gardunha, chegamos á Enxabarda. Na estrada que liga Lavacolhos ao Fundão mesmo á entrada do Castelejo viramos á direita por uma estrada municipal e 4 kms  depois encontramos a Enxabarda.